domingo, 17 de setembro de 2006

Muçulmanos indignados com Bento XVI


As declarações do papa Bento XVI sobre o islã desencadeou uma onda de protestos no mundo muçulmano. A Organização da Conferência Islâmica acusou o papa de ter caluniado contra o islamismo e o profeta Maomé. O Vaticano reagiu aos protestos, alegando que o papa respeita o islã. Em sua palestra na universidade, Bento XVI havia citado trecho de um diálogo de um imperador do século 14, segundo o qual o profeta Maomé só teria propagado coisas más e desumanas no mundo.
O papa Bento 16 disse a fiéis no Vaticano que suas observações sobre o Islã, que irritaram muçulmanos em vários países, foram “mal interpretadas”.

Ele expressou seu “profundo respeito” pelo Islã em seu discurso no Vaticano.
O papa disse que a sua citação do imperador bizantino Manuel 2º Paleologus, que contém críticas ao islamismo, não refletem suas convicções pessoais.
No entanto, ele disse esperar que seu discurso, feito na Alemanha, leve a um “diálogo com autocrítica” entre diferentes religiões e culturas.
“Espero que em vários momentos da minha visita (à Alemanha) meu profundo respeito por todas as religiões, em particular pelos muçulmanos (...) tenha ficado claro”, afirmou o papa em sua audiência papal semanal, no Vaticano.
No discurso, o papa citou um texto no qual o imperador bizantino afirma que Maomé apenas trouxe coisas “más e desumanos” para o mundo, como a orientação de espalhar a religião "pela espada".
A citação gerou ira entre muçulmanos de várias partes do mundo, que exigiram um pedido de desculpas. O papa lamentou o episódio em um comunicado oficial.

7 comentários:

Anônimo disse...

o jornalziho de voces e totalmente racista e tem uma visao totalmente tendenciosa....patetico que jornalismo vagabundo e racista..que nojo

hora israelita disse...

patético e racista é o que os muçulmanos fizeram ao botar fogo em bonecos, representando o Papa Bento 16 e ao prometerem uma guerra contra os "ADORADORES DA CRUZ".

Isto sim é um exemplo de intolerância àqueles que não seguem o Alcorão.

Leonardo Raimundi disse...

sua tendência é uma lepra milenar do espírito humano, o dualismo, o simplismo que decai no sono do maniqueísmo e gera os mesmos monstros que pretende "combater".
Patético

mari disse...

eu adoro o teu blog, amor da minha vida.
e patético é um ser vir até aqui pra cuspir opinião anódina.

hora israelita disse...

caro leonardo,
a foto da matéria relfete muito bem a raiva, o ódio, a revolta de um povo que deseja a morte de quem não é muçulmano. A bola da vez é o santo padre.
"O islã ou a morte!" Estes são os monstros que ameaçam o ocidente. Infelizmente a lepra, o câncer, o tumor do mundo é o islã, ou tens dúvida?

Leonardo Raimundi disse...

eu entendo o seu ponto de vista
o que reluto em aceitar é uma certa tendência à demonizar um lado e vitimizar o outro (coisa que acontece dos dois lados do espectro ideológico)
acho que a compreensão deve ser crítica mas tb auto-crítica
mas eu estava errado a seu respeito
talvez seja tarde
mas ainda assim fica aqui minhas desculpas
abraç

hora israelita disse...

Leonardo,
aceito as desculpas. Eu sei que é difícil opinar sobre o conflito sem conhecer o "clima" dos dois lados.