sexta-feira, 4 de agosto de 2006

Israel e seu Exército

O Exército israelense, considerado um dos mais poderosos do mundo devido a sua experiência no campo de batalha e sua capacidade tecnológica, é relativamente pequeno, mas ao mesmo tempo muito versátil e capaz de mobilizar centenas de milhares de reservistas se for necessário. Todos os jovens israelenses têm que servir um período obrigatório de 36 meses após completar 18 anos, enquanto as mulheres têm que servir por 24 meses. Também prestam o serviço militar os membros da minoria drusa e circassiana, e uma parte - estes de forma voluntária - das diversas tribos beduínas. Depois do serviço, todos os israelenses passam para a reserva até por volta dos 40 anos - dependendo da unidade onde servem -, e devem cumprir entre 20 e 30 dias de serviço ativo ao ano, exceto as mulheres. Ficam, no entanto, estes reservistas disponíveis para treinamentos anuais obrigatórios por vários dias, assim como para uma possível circunstância de guerra, na qual são convocados através da "Ordem Militar nº 8".

Esta semana, por exemplo, devido à crise com o Líbano, 15.000 deles começarão a reforçar a segurança no norte de Israel após receber essa convocação de emergência em casa.
Nos últimos anos, a Força Aérea recuperou supremacia em relação às Forças Armadas, como o mostra o fato de que pela primeira vez o chefe do Estado-Maior, Dan Halutz, seja um general da aviação.

A supremacia da Força Aérea também se reflete na aquisição nos últimos anos de 104 unidades de modernos aviões F16I, espinha dorsal da Força Aérea para as próximas duas décadas. Os helicópteros em atividade, um dos meios mais usados no conflito com os palestinos, somam cerca de 200 aparelhos. Finalmente, Israel sustenta toda sua estratégia militar a longo prazo na capacidade de dissuasão de seu arsenal não convencional, outro dos maiores segredos do poderio militar israelense.

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente o blog. Era isso mesmo que estava faltando. Precisamos informar melhor, já que a grande imprensa não faz. Vamos ser diretos. Ou Israel elimina esses terroristas ou nunca vai haver paz no Oriente Médio.
Morel Azevedo - Brasília, DF

mariana nisemblat disse...

que lindo que está ficando esse blog, fábio. parabéns, parabéns meeeesmo. tá muito massa.