sábado, 31 de janeiro de 2009

Rabinato de Israel rompe com Vaticano

O rabinato de Israel cortou todos os seus laços com o Vaticano em protesto à decisão do papa Bento 16 de revogar a excomunhão do bispo britânico Richard Williamson, que negou o extermínio sistemático de seis milhões de judeus na Segunda Guerra Mundial. O papa reafirmou a sua "completa e inquestionável solidariedade com os judeus", na tentativa de aliviar as tensões. Falando em sua missa, o papa disse que a tentativa de exterminar os judeus, no Holocausto, deve continuar a ser um alerta para todos os povos.

Williamson e outros três bispos foram excomungados há 20 anos, depois que o ultraconservador arcebispo Marcel Lefebvre os consagrou sem aprovação do papa. Para tentar recuperar a parcela ultraconservadora católica, o papa Bento 16 revogou a excomunhão dos bispos no último sábado (24), provocando uma onda de reações negativas entre a comunidade judaica.

2 comentários:

avraham disse...

Pois o Rabinato de Israel deveria romper com Livni-Olmert-Barack pelo massacre perpretado em Gaza. Usaram fósforo branco em áreas densamente povoadas, urânio empobrecido e muniçâo Dime. Estão sendo julgados pela opinião pública mundial e serão, com certeza, pelo Tribunal Penal Internacional !! FREE PALESTINE NOW !!!!

Anônimo disse...

Que acusações sem fundamento,"Avraham Said".O Estado de Israel apenas se defendeu dos foguetes lançados a partir de Gaza.